Vistas da exposição
1 de 6
Texto

02/05 – 30-06 2017


HIC SVNT DRACONES tem o prazer de apresentar Sonia Gomes e A.R. Penck, uma exposição de dois artistas emblemáticos que desenvolvem, em suas esculturas, técnicas mistas com ênfase em obras de tecido, papel alumínio e madeira. 

Enquanto Penck explora novos sistemas de relações espaciais em suas constelações de feltro codificadas por cor, construindo novos corpos biomórficos, a abordagem de Gomes é mais poética. Suas esculturas revelam uma recém-descoberta intimidade e sensualidade através de suas intervenções artísticas com objetos encontrados e presenteados. Como outsiders ideológicos – Penck entre a Alemanha Oriental e a Alemanha Ocidental, Gomes entre as culturas e raças das Américas do Sul e do Norte –, ambos descrevem suas práticas como fundadas na busca de uma sintaxe universal.  
A.R. Penck (pseudônimo adotado por Ralf Winkler) nasceu em 1939, início da Segunda Guerra Mundial. Quando decidiu ser artista, suas candidaturas em escolas de arte foram repetidamente recusadas. Trabalhando na Alemanha Oriental no começo da década de 1960, Penck desenvolveu Standart, um simples vocabulário pictórico derivado da linguagem, da matemática, da cibernética, dos sistemas de informação e das teorias comportamentais. Segundo Annabelle Ténèze, essa linguagem vai além da simples questão da escrita na pintura. É uma estratégia geral, uma nova linguagem para um novo sistema de pensamento. Sua arte precisava superar as barreiras entre abstração e figuração e ir além da distinção entre texto e imagem. Era uma questão de quebrar com os nossos vícios visuais para conseguir ver melhor. Em seu plano geral, Penck usou tudo o que poderia criar significado. Influenciado na mesma medida pelas ciências tradicionais e pela ficção cientifica, a linguagem de sinais e símbolos de Penck trata de nossa atual situação econômica, social e política, dando uma forma concreta aos sistemas invisíveis, e muitas vezes abstratos, que se tornaram as forças regentes de nossas vidas cotidianas. Penck imigrou para a Alemanha Ocidental em 1980. 

Tendo iniciado suas explorações escultóricas em feltro na década de 1970, Penck concluiu a maioria dessas obras na década de 1990 trabalhando a partir de desenhos anteriores. Como explicou em retrospecto, Standart é um tipo de arte conceitual, um termo do qual eu não tinha ciência na época. Standart = conceito, plano, estratégia. Em nenhuma obra essa complexa dialética é mais evidente do que em seus trabalhos de feltro, que ocupam um lugar curioso na vasta obra do artista. Aqui, os signos e símbolos aparentemente primitivos que caracterizam as pinturas de Penck são transformados em algo mais gentil: o uso de cores primárias não moduladas, uma clareza da forma e uma suavidade material dão vida às peças.  

Sonia Gomes, nascida em 1948 e criada em Caetanópolis, em pleno coração da indústria fabril brasileira, assumiu plenamente sua carreira de artista aos 45 anos. Sua prática desafia classificações fáceis, suas linhas e formas não são orientadas para a autonarração, mas buscam o simbolismo da liberdade, da vida e do entusiasmo. Usando materiais achados ou doados que caíram em desuso, Gomes cria obras têxteis ecléticas e multicoloridas que evocam, ao mesmo tempo, a ideia do visceral e do sagrado.  

Com as esculturas exibidas, Gomes explora conceitos de memória e vida por meio da apropriação dos objetos mortos, descartados ou esquecidos que encontra. Desde vestidos até camisolas, convites de casamento ou livros antigos, a inspiração de Gomes resulta de seu desejo em transformar e transgredir os materiais que chegam até ela implorando por vida. Ocasionalmente doados por donos que mantêm conexões emocionais íntimas com os materiais, esses objetos continuam imbuídos de memórias e histórias secretas muito pessoais. Gomes navega de maneira eloquente por essas lacunas de afeto e memória, criando e revelando intuitivamente seus arranjos. 

Ao longo da exposição, a compulsão por combinar pensamento e forma está fortemente presente e, como na arte antiga, as obras expostas criam modelos para representar o mundo. Sonia Gomes e A.R. Penck oferece aos visitantes múltiplas perspectivas com as quais podem examinar um conjunto significativo de obras desses dois artistas. 

Menu