Vistas da exposição
1 de 8
Obras
Slideshow
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger in brussels
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
female artist
1 de 25
Thumbnails
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger in brussels
anna bella geiger em bruxelas
anna bella geiger em bruxelas
female artist
Texto

18/04 – 26/05 2018


Carta: a Anna Bella Geiger  

O mundo artístico atualmente se desenvolve como um território ou domínio com regras e códigos não verbais. O artista é, desde então, imperceptivelmente incorporado como a figura principal de uma caravana artística. É difícil dizer a direção, mas a caravana está se movendo, como uma horda turbulenta. A obra do artista deve preferivelmente ser reconhecível e legivelmente codificada. Por mais de cinco décadas, Anna Bella Geiger tem sido uma artista que se opôs à caravana, cuja abordagem artística é guiada por experimentação e comprometimento. Seu ambiente de trabalho é o Rio de Janeiro e o mundo é a tela em qual seu trabalho se manifesta supremamente. Cada um dos trabalhos de Anna Bella Geiger é como uma seção geológica. Utilizando de sua perspectiva pessoal, ela demarca o atrito entre elementos ideológicos, geográficos, políticos e culturais. Seu trabalho resulta de uma atitude consistentemente crítica, na qual a habilidade estética é sempre fixada eticamente. Anna Bella Geiger trabalha alertamente, e utiliza a arte como uma forma de desvendar sistemas de poder e controle, como mapas e fronteiras, dentro de um espectro formal.  Anna Bella Geiger desenvolveu um portfolio que toma forma conceitual e palpável. Com isso me refiro à artista ter se apropriado de todos os meios (pintura, desenho, video, assemblagem, etc.), resistindo às convenções contemporâneas. O trabalho de Anna Bella Geiger é uma tradução da identidade em camadas da artista em um corpo artístico que levanta a questão de que forma, como artista, pode-se ocupar uma posição que possa oferecer efetivamente uma resposta à opressão latente de mecanismos ideológicos e de outros mecanismos. Para Geiger, a estratificação associativa da imagem é uma aposta estratégica que desconstrói convenções. Anna Bella Geiger é uma artista que frequentemente utiliza a silhueta de um país; o Brasil, como uma reflexão universal e uma metáfora sobre a incapacidade de agir e pensar como ser humano sem limitações ou fronteiras.


– Philippe Van Cauteren, Sharjah, 26 de Março de 2018

Menu