Vistas da exposição
1 de 8
Texto

Kevin Francis Gray

09/04 2011 – 07/05 2011


A Mendes Wood DM tem o prazer de apresentar a primeira mostra individual no Brasil do artista baseado em Londres Kevin Francis Gray. A exposição conta com esculturas em resina e bronze de sua mais recente produção. Elas mostram um retrato vívido e vazio do punk contemporâneo e da subcultura urbana em magistral execução de estilo neoclássico. Tensões formais entre excesso e contenção, forma e ausência de forma, naturalismo e idealismo permeiam sua obra, aspirando noções de sublime e realidade.

O estilo do artista encontra lugar entre o neoclássico e o gótico – uma fusão perfeita do naturalismo e da melancolia do Gótico [1] com o heroísmo e pureza do Helenístico. Seus temas são extraídos de fontes da contracultura – adolescentes, masoquistas, punks e poetas – e relembram o herói Byroniano (ou anti-herói). Orgulhosas e imperfeitas, mórbidas e belas, as esculturas de Gray lembram o espectador das afinidades entre a morte e o erótico, o sensual e o finito.

Kevin Francis Gray (n. 1972, Irlanda do Norte) recebeu o BFA do Colégio Nacional de Arte & Design, em Dublin, e um MFA do Art Institute of Chicago, bem como um MFA do Goldsmiths College, em Londres. Gray exibiu extensamente nos Estados Unidos e na Europa. O trabalho de Gray foi recentemente exposto no Museu de Arte de Daejeon, na Coréia, o Musée d’Art Moderne, Saint-Etienne, da França, o Museu de Arte Contemporânea da Valde-Marne, Paris, na França e no Riso Museo d’Arte Contemporanea, na Sicília, Itália. Ele também já exibiu no Musée National des Beaux-Artes de Québec, Canadá, no Artium Centro-Museo Vasco de Arte Contemporâneo, Vitoria-Gasteiz, Espanha, no Museu de Arte Contemporânea, em Belgrado, MAMA Rotterdam, PAN Museu, Nápoles e na Royal Academy, em Londres.

[1] Em The Stones of Venice, John Ruskin caracteriza o Gótico de 6 maneiras: “1. Selvageria; 2. Mutabilidade; 3. Naturalismo; 4. Grotesco; 5. Rigidez; 6.Redundância.”

Menu