Vistas da exposição
Aki Sasamoto, Wrong Happy Hour, 2017, Mendes Wood DM, São Paulo
1 de 11
Obras
Slideshow
Aki Sasamoto, Wrong Happy Hour, 2017, Mendes Wood DM, São Paulo
1 de 5
Thumbnails
Videos
Aki Sasamoto, Wrong Happy Hour, 2017, video
Texto

12/08 – 16/09 2017


Mendes Wood DM tem o prazer de apresentar a primeira exposição individual da artista japonesa Aki Sasamoto no Brasil. A mostra nasce a partir de uma performance intitulada Wrong Happy Hour. Nesse projeto a artista reunido práticas de desenho, instalação, vídeo e performance. Sasamoto estabelece a sua prática no campo em comum entre a escultura e performance, utilizando o corpo como agente de tensão entre essas duas linhas de pesquisa. As instalações se dão por uma observação não apenas de cunho estético mas também sociológico. 

Wrong Happy Hour foi apresentada pela primeira vez em Nova York no ano de 2014, após a artista observar que a tradição da reunião pós-trabalho na cidade era quase como um rito religioso das pessoas. A partir disso, Sasamoto constrói um bar com balcões paralelos entre si e usando óculos de periscópio – distorcendo o ângulo da sua visão – a artista interage com garrafas e objetos sobre os balcões. Em dado momento, Aki desenha e escreve nas paredes a palavra Romance e ao desenhar diagramas nas paredes, ela questiona: Como posso saber o que é o romance?  Eu realmente não sei o que o sexo oposto pensa, ou qualquer pessoa diferente de mim.

As performances de Sasamoto geralmente abordam identidade, família e normas sociais. Ela inicia sua pesquisa a partir dos assuntos cotidianos ao seu redor - como hábitos das pessoas, conceitos matemáticos ou alimentos - e incorpora elementos escultóricos reproduzidos nas instalações durante o ato da performance na qual tornam-se ambientes que também se mantêm sozinhos após as apresentações. Sua prática une sutis questões da cultura japonesa e americana – ela atribui seu impulso de micromanuseio de objetos à influência de sua educação japonesa e vê a influência americana em seu trabalho na apropriação de materiais encontrados na rua e na habilidade em utilizar diversas mídias.

Aki Sasamoto (Kanagawa, 1980) vive e trabalha em Nova York. Suas exposições incluem: Yield Point, The Kitchen, New York (2017); Shanghai Biennale 2016; Power Station, Shanghai (2016); Roppongi Crossing 2013: Out of Doubt, Mori Art Museum, Tokyo (2013); Whitney Biennial, Whitney Museum of American Art, New York (2010). 

Menu